Uma entrevista com o designer da Transparent Cable

Fonte: The Absolute Sound Web Site
Publicada em 27/07/2015

Transparent Cable, um dos nomes mais célebres no negócio de áudio, lançou uma nova linha de cabos chamada Geração 5. O que segue abaixo é uma conversa recente que tive com o designer da Transparent Josh Clark.

Jacob Heilbrunn: Alguns audiófilos juram por cabos. Outros os xingam. Qual a sua opinião?
Josh Clark: Alguns os xingam, porque para obter um bom desempenho custa uma boa quantia de dinheiro. Qualquer pessoa que tenha feito comparações de desempenho entre os cabos sabe que são uma parte importante da cadeia de sistema de áudio. Eles também são um dos piores componentes em um sistema. Nosso objetivo é fazer deles o "menos ruim" que possam ser para manter a dinâmica, tonalidade e integridade do sinal, que é uma tarefa difícil.

Qual a explicação para as diferenças sonoras entre as gerações anteriores do Opus e a Geração 5?
Como o próprio nome sugere, é nossa quinta linha de cabos de áudio. Nós trabalhamos há mais de vinte anos para elevar o nível de desempenho do sistema de áudio através de realismo e engajamento musical. Gen 5 é parte de um continuum. Não é um abandono da Geração 4; é uma melhoria sobre ela, em particular na faixa dinâmica. Nossos objetivos são alcançar mais dinâmica em larga escala sem limitações e revelar informações de baixo nível mais através da redução do piso de ruído.

Como?
Embora o Opus seja o nosso produto superior há mais de 15 anos, alguns anos atrás tivemos a sensação que poderíamos melhorar a sua faixa dinâmica. Esse pensamento levou ao Magnum Opus, que está acima do Opus na linha. Porque vibrações adicionam uma camada de ruído que podemos ouvir, nós desenvolvemos uma nova tecnologia de cabos que mantém um baixo piso de ruído e minimiza as vibrações dentro do próprio cabo. Com o Opus nós até mesmo cuidamos das vibrações nos conectores. Também melhoramos o network para fazê-lo rejeitar mais ruído e controlar mais precisamente indutância e capacitância, o que ajuda a manter a tonalidade natural. Além disso nós melhoramos o case que abriga o network.

O módulo de network do Gen 5 tem a mesma aparência do seu antecessor. Internamente conseguimos incorporar coisas que aprendemos com o Magnum Opus, o conjunto entre a placa de graves e os estabilizadores que montam os pés. Controlamos o amortecimento e torque e ajustamos onde ocorre a ressonância. Amortecemos a ressonância primária e a movemos para fora da banda crítica. Mecanicamente amortecemos a ressonância e a movemos para um lugar melhor. Você sempre vai ter ressonância; é apenas uma questão de controlá-la.

Nós também redesenhamos o próprio cabo. É mais firmemente torcido com uma técnica difícil e especializada. Temos forçado alguns dos melhores fornecedores de cabos para irem além do que eles pensavam que era possível. Nós aplicamos também novos materiais de amortecimento especializados entre condutores. Usamos presilhas especiais que seguram a montagem do cabeamento. Na interconexão, empregamos conectores de baixo ruído de fibra de carbono reforçada. Nós também incorporamos amortecimento internamente.

Não é surpreendente quanta diferença pequenas mudanças podem fazer?
Em minha experiência, elas fazem ou quebram o desempenho de um sistema. Nós revelamos uma outra camada e chegamos mais perto de ouvir música ao vivo, não apenas o som, mas também o sentimento.

Quanto tempo levou?
Magnum Opus foi criado ao longo de cinco anos. Gen 5 no ano passado.

Como é o desempenho do Magnum Opus em relação ao Gen 5?
A música é tão complexa, oferecendo tão amplas faixas dinâmica e harmônica, nós achamos que levar as coisas à enésima potência faz uma melhora significativa. Para as pessoas que procuram o desempenho definitivo, Magnum oferece mais. Claro, Magnum também é muito mais caro, e eu não acho que você precisa chegar até ele para obter uma experiência gratificante.

E a diferença sonora mais saliente?
No desempenho a maior diferença está principalmente na esfera dinâmica. Como eu mencionei, Magnum Opus derruba o piso do ruído - mantém o ruído fora em um grau ainda maior, e assim os eventos dinâmicos vêm deste incrível silêncio de fundo. Sua capacidade de transmitir informação tonal - tanta informação no vibrato de uma trombeta, por exemplo - é notável. Magnum Opus lida com isso de uma maneira que nunca se ouviu falar em qualquer sistema ou cabo. É difícil para mim colocar em palavras, mas o som de um instrumento e seu timbre são elevados a um outro nível de realismo.

Quanto tempo demora para fazer esses cabos?
Cada Magnum Opus ou Opus é construído sob encomenda. Leva um par de semanas para construir um par de Magnum Opus, e estamos fazendo-os com uma precisão quase impossível. Nós construímos o cabo em uma faixa de temperatura correta, até mesmo levamos em conta a temperatura da sala de audição do cliente. Com Gen 5, nós somos capazes de fazer a grande maioria dessas coisas, e de alcançar a maior parte dos benefícios de desempenho.

Em última análise, música acústica é o nosso ponto de referência. Nós deixamos o som da música ser o nosso guia. Nós pensamos sobre o que está faltando aqui ou ali e que processo podemos usar para chegar mais perto do evento original.

Não é um produto onde nós pensamos sobre praticidade em primeiro lugar. Todos os nossos produtos de referência são construídos com essencialmente zero compromisso. Quando o indutor é feita a partir do mesmo fio so cabo, ele tende a ser um componente grande. Mas nós aprendemos que a massa, rigidez e amortecimento são nossos amigos. Ao eliminar o ruído inerente, nós atingimos um senso de coerência que não tínhamos antes. Esta coerência traz consigo textura harmônica e timbre muito mais realistas.

Jacob Heilbrunn - Revista The Absolute Sound - 22 de julho de 2015

Leia a entrevista original aqui.